Category Archives: Fernando Sabino

Como comecei a escrever – Crônica de Fernando Sabino

Quando eu tinha 10 anos, ao narrar a um amigo uma história que havia lido, inventei para ela um fim diferente, que me parecia melhor. Resolvi então escrever as minhas próprias histórias. Durante o meu curso de ginásio, fui estimulado pelo fato de ser sempre dos melhores em português e dos piores em matemática –… Read More »

Empregadas – Crônica de Fernando Sabino

Desavença Entre outras virtudes, as novelas de televisão têm a de enriquecer com novas expressões o vocabulário das empregadas. Só porque a patroa riscou três fósforos para acender o gás e em seguida atirou-os ao chão, a cozinheira exclamou: – A senhora não devia fazer assim! Por causa disso ainda acaba provocando uma desavença no… Read More »

Notícia de jornal – Crônica de Fernando Sabino

Leio no jornal a notícia de que um homem morreu de fome. Um homem de cor branca, trinta anos presumíveis, pobremente vestido, morreu de fome, sem socorros, em pleno centro da cidade, permanecendo deitado na calçada durante setenta e duas horas, para finalmente morrer de fome. Morreu de fome. Depois de insistentes pedidos de comerciantes,… Read More »

Piscina – Crônica de Fernando Sabino

Era uma esplêndida residência, na Lagoa Rodrigo de Freitas, cercada de jardins e, tendo ao lado, uma bela piscina. Pena que a favela, com seus barracos grotescos se alastrando pela encosta do morro, comprometesse tanto a paisagem. Diariamente desfilavam diante do portão aquelas mulheres silenciosas e magras, lata d’ água na cabeça. De vez em… Read More »

Em Matéria de Automóveis – Crônica de Fernando Sabino

EM matéria de automóveis, seu raciocínio era o seguinte: — Para que ter automóvel, se eu não sei dirigir? E se alguém lhe sugeria que aprendesse: — Para que aprender, se não tenho automóvel? Um dia, porém, não se sabe como, escapou de seu sofismático raciocínio e apareceu dirigindo um automóvel. Aprendera a dirigir, só… Read More »

No Quarto da Valdirene – Crônica de Fernando Sabino

Mal ele entrou em casa, a mulher o tomou pelas mãos, ansiosa: – Estava aflita para você chegar. E sussurrou, apontando dramaticamente para os lados da cozinha: – Tem um homem no quarto da Valdirene. Sacudiu a cabeça com irritação: – Desde o primeiro dia eu achei que essa menina não era boa coisa. Ela… Read More »

Aspirador de pó – Crônica de Fernando Sabino

Antes que eu lhe pergunte o que deseja, o gordinho começa a exibir-me uma aparelhagem complicada, ainda na porta da rua. São tubos que se ajustam, fio para ligar na tomada, escovinhas de sucção e outros apetrechos. – Entre – ordenei. Ora, acontece que jamais prestei sentido na existência dos aspiradores de pó. Por isso… Read More »

Macacos me mordam – Crônica de Fernando Sabino

Morador de uma cidade do interior de Minas me deu conhecimento do fato: diz ele que há tempos um cientista local passou telegrama para outro cientista, amigo seu, residente em Manaus: “Obsequio providenciar remessa 1 ou 2 macacos”. Necessitava ele de fazer algumas inoculações em macaco, animal difícil de ser encontrado na localidade. Um belo… Read More »