Joel morreu, jogo no gato ou no macaco? – crônica de Carlos Vitor de Castro

By | July 1, 2013

Joel era um amigo de infância, quer dizer, mais ou menos amigo, com 11 ou 12 anos brigávamos quase toda semana por causa de pipa, bolas de gude ou uma entrada dura na pelada de fim de semana. Não tem como saber quem ganhou mais brigas, foram tantas que os colegas já não davam mais bola.

Certa vez estávamos eu e outro amigo numa área de mata em Jacarepaguá atrás de mangas e goiabas, uma parte era comida na hora e a outra dividíamos para levar para casa e fazer um suco que acompanhava o almoço.

Joel morava na última casa do topo de uma favela próxima e ele nos encontrou no meio do mato, o esquisito é que Joel estava completamente nu. Sua mãe saia para trabalhar e levava o único short que tinha, era para o moleque não sair de casa, evitava que ele descesse o morro mas não evitava que ele se embrenhasse na mata que fazia fronteira em seu quintal.

Joel foi de grande ajuda neste dia, o moleque tinha uma destreza para subir em árvores que nem um macaco-prego teria, ele subia nos galhos mais altos das mangueiras e jogava as frutas maduras para que eu e o outro amigo aparássemos lá embaixo. Um mestre em subir em árvores.

Quando fizemos 16, 17 anos Joel começou a praticar pequenos assaltos, roupas no varal do vizinho, invasões de casas para roubar o que desse para carregar e quando aprendeu a dirigir se enturmou com um pessoal que roubava carro e teve sua promoção, virou ladrão de carros.

Nesta época já não tínhamos mais muito contato, não gostava de andar com ladrões, não exatamente por escrúpulos, mas porque morando em área onde existem várias bocas de fumo, ladrões são alvos ambulantes, traficantes não gostam ou não gostavam de gente bagunçando sua área de comércio, não fazia bem aos negócios.

Recebi a notícia que Joel tinha morrido na Praça Seca, alguém havia lhe dado dois tiros pelas costas e desapareceu, tenho de confessar que não fiquei surpreso nem sentido, na verdade a primeira coisa que me veio a cabeça foi jogar no bicho para ver se acertava alguma coisa, mas qual bicho jogar? Macaco por conta da habilidade de subir em árvores ou gato que na minha infância todos relacionavam a ladrão por entrar nas casas de vizinhos e roubar um bife por exemplo.

Apostei mal, joguei no gato e deu macaco, a parte bacana do Joel prevaleceu.

 



 

Comments

comments

Leave a Reply

Your email address will not be published.