O exame de sangue – Crônica da coluna “O Avesso da Vida” de Léo Montenegro

By | December 6, 2013

Orquelino chegou ao bar, foi ao português e pediu:

– Uma cerveja, mas tem que se daquelas sem álcool!

Uma velhinha custou a acreditar naquilo:

– Será que é a idade ou eu não ouvi bem! Cerveja sem álcool?

Orquelino teve que explicar:

– É que amanhã vou tirar sangue lá no posto de saúde, pra fazer um exame!

Um baixinho escandaloso:

– Nem vem! Essa desculpa não cola! Espia só as garrafas na prateleira! Tão tudo chorando por causa da sua traição!

Um careca que era o mais lúcido de todos:

– Que diabo, ele vai tirar sangue! Se beber álcool, o resultado vai sair mais complicado que a seleção do Telê Santana!

Um magricela endossou:

– Também acho! Inclusive, vamos em mutirão ao posto de saúde pra acompanhar o colega! Já pensaram se ocorre um infortúnio?

A velhinha adorou:

– Genial! Adoro ver gente desmaiando quando tira sangue!

Orquelino protestou:

– Quem disse que eu vou desmaiar? Eles só tiram um pouquinho de sangue!

Uma magrinha mandou:

– Aqui, ó! Eles começam tirando um pouquinho! Aí o senhor dá de cochilar e quando acorda, não tem nem mais uma gota pra contar a história!

Orquelino perdeu a paciência com o pessoal:

– Vira essa boca pra lá, dona Bregonilda! Os caras do posto de saúde são excelentes profissionais, ótimos chefes de família e sem o nome no SPC, que eu conferi antes! Pensam que sou burro?

O português sugeriu:

– Esse negócio de tirar sangue é coisa séria! Não é melhor tomar um copo com água, em vez da cerveja sem álcool?

Vamos que na hora de fabricar, o cara lá da cervejaria esqueceu e botou álcool?

Um gordão meteu o dedo na cara do português:

– Quer matar o freguês, oferecendo água? Ele nunca bebeu esse troço na vida dele!

Um gordinho foi ao ouvido do Orquelino:

– Dá pra fazer seu testamento antes de tirar sangue pro exame? E não se esqueça que eu sempre amei de paixão aquele seu Fusquinha!

Orquelino não agüentou:

– Vocês estão transformando um simples exame de sangue, num transplante, urubus!

Não devia ter encarado. Agora, além do exame, vai ficar internado. Que surra!

Comments

comments

One thought on “O exame de sangue – Crônica da coluna “O Avesso da Vida” de Léo Montenegro

Leave a Reply

Your email address will not be published.