O julgamento da ovelha – Fábula de Monteiro Lobato

By | July 21, 2015

Um cachorro de maus bofes acusou uma pobre ovelhinha de lhe haver furtado um osso.

— Para que furtaria eu esse osso — alegou ela — se sou herbívora e um osso para mim vale tanto quanto um pedaço de pau?

Não quero saber de nada. Você furtou o osso e vou já levá-la aos tribunais.

E assim fez.

Queixou-se ao gavião penacho e pediu-lhe justiça. O gavião reuniu o tribunal para julgar a causa, sorteando para isso doze urubus de papo vazio.

Comparece a ovelha. Fala. Defende-se de forma cabal, com razões muito irmãs das do cordeirinho que o lobo em tempos comeu.

Mas o júri, composto de carnívoros gulosos, não quis saber de nada e deu a sentença:

— Ou entrega o osso já e já, ou condenamos você à morte!

A ré tremeu: não havia escapatória!… Osso não tinha e não podia, portanto, restituir; mas tinha a vida e ia entregá-la em pagamento do que não furtara.

Assim aconteceu. O cachorro sangrou-a, espostejou-a, reservou para si um quarto e dividiu o restante com os juizes famintos, a titulo de custas…

monteiro-lobato

 



 

4 thoughts on “O julgamento da ovelha – Fábula de Monteiro Lobato

  1. Byanca lima de oliveira

    Eu adorrei essa fabula vou faze essa fabula para meu trabalho de escola

    Reply
  2. Lucas Ferdinand

    Não adianta expor as suas razões para quem está aliado ao opressor.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published.