May 24

O Melhor Amigo – crônica de Fernando Sabino

A mãe estava na sala, costurando. O menino abriu a porta da rua, meio ressabiado, arriscou um passo para dentro e mediu cautelosamente a distância. Como a mãe não se voltasse

Para vê-lo, deu uma corridinha em direção de seu quarto.

– Meu filho? – gritou ela.

– O que é – respondeu, com o ar mais natural que lhe foi possível.

– Que é que você está carregando aí?



Como podia ter visto alguma coisa, se nem levantara a cabeça? Sentindo-se perdido,tentou ainda ganhar tempo.

– Eu? Nada…

– Está sim. Você entrou carregando uma coisa.

Pronto: estava descoberto. Não adiantava negar – o jeito era procurar comovê-la.Veio caminhando desconsolado até a sala, mostrou à mãe o que estava carregando:

– Olha aí, mamãe: é um filhote…

Seus olhos súplices aguardavam a decisão.

– Um filhote? Onde é que você arranjou isso?

– Achei na rua. Tão bonitinho, não é, mamãe?

Sabia que não adiantava: ela já chamava o filhote de isso. Insistiu ainda:

– Deve estar com fome, olha só a carinha que ele faz.

– Trate de levar embora esse cachorro agora mesmo!

– Ah, mamãe… – já compondo uma cara de choro.

– Tem dez minutos para botar esse bicho na rua. Já disse que não quero animais aqui em casa. Tanta coisa para cuidar, Deus me livre de ainda inventar uma amolação dessas.

O menino tentou enxugar uma lágrima, não havia lágrima. Voltou para o quarto, emburrado:

A gente também não tem nenhum direito nesta casa – pensava. Um dia ainda faço um estrago louco. Meu único amigo, enxotado desta maneira!

– Que diabo também, nesta casa tudo é proibido! – gritou, lá do quarto, e ficou
esperando a reação da mãe.

– Dez minutos – repetiu ela, com firmeza.

– Todo mundo tem cachorro, só eu que não tenho.

– Você não é todo mundo.

– Também, de hoje em diante eu não estudo mais, não vou mais ao colégio, não
faço mais nada.

– Veremos – limitou-se a mãe, de novo distraída com a sua costura.

– A senhora é ruim mesmo, não tem coração!

– Sua alma, sua palma.

Conhecia bem a mãe, sabia que não haveria apelo: tinha dez minutos para brincar com seu novo amigo, e depois… ao fim de dez minutos, a voz da mãe, inexorável:

– Vamos, chega! Leva esse cachorro embora.

– Ah, mamãe, deixa! – choramingou ainda: – Meu melhor amigo, não tenho mais
ninguém nesta vida.

– E eu? Que bobagem é essa, você não tem sua mãe?

– Mãe e cachorro não é a mesma coisa.

– Deixa de conversa: obedece sua mãe.

Ele saiu, e seus olhos prometiam vingança. A mãe chegou a se preocupar: meninos nessa idade, uma injustiça praticada e eles perdem a cabeça, um recalque, complexos, essa coisa

– Pronto, mamãe!

E exibia-lhe uma nota de vinte e uma de dez: havia vendido seu melhor amigo por trinta dinheiros.

– Eu devia ter pedido cinqüenta, tenho certeza que ele dava murmurou, pensativo.




30 comments

Skip to comment form

  1. Gostei muito… até copiei ela para apresentar na minha escola amanhã dia 04/02/2014… Obrigado ajudou muito mesmo!

      • amanda cabanhe on June 25, 2014 at 11:44 am
      • Reply

      eu achei essa cronica uma……………………. belez muito booooa parabéns

    • rayssa on March 1, 2014 at 5:40 pm
    • Reply

    gostei muito minha professora pediu vou apresentar na escola d

    • Pollyanna on June 2, 2014 at 8:02 pm
    • Reply

    Gostei muito! muito legal mesmo.
    eu não queria ler , mas depois que li , gostei 🙂

    • Matheus on June 2, 2014 at 8:03 pm
    • Reply

    é massa doido :3

    • Mattheus Costa on June 3, 2014 at 1:12 am
    • Reply

    Adooreii aa Crônica ! minha professora pediu para pesquisarmos uma ! vou leva essa com toda certeza ! 🙂

    — 02/05/2014

    • amanda cabanhe on June 25, 2014 at 2:41 pm
    • Reply

    kkkkkkk zuera adorei essa cronica vou levar para minha casa pra eu ler no meu tempo livre

    • joaovictor on June 27, 2014 at 1:28 pm
    • Reply

    foi sem graça ele ficou sem o cachorro

    • amanda gomes on July 15, 2014 at 5:42 pm
    • Reply

    muito bom adorei 🙂

  2. Nao entendi o fala essa crônica. Alguém me ajuda!?

    1. Acho que fala sobre como são passageiras as coisas da infância.

        • Rayssa on June 23, 2015 at 7:32 pm
        • Reply

        Acho que fala em como o ser humano é mesquinha.. e como tudo está sempre a girar em torno do dinheiro e do que é material.. Somos capazes de vender tudo, até o que temos de mais bonito para que em troca, ganhemos alguns míseros reais.

        • Anonymous on September 23, 2015 at 6:19 pm
        • Reply

        queria saber quanto tempo isso a
        contece

    • nayara :) on September 18, 2014 at 8:09 pm
    • Reply

    Adorei ate coloquei no meu trabalho!!! <3 <3 <3

    • Millena on March 31, 2015 at 11:43 pm
    • Reply

    É muito grande mas estou escrevendo no meu trabalho da escola.Mesmo sendo grande eu amei essa historia, e a mesma coisa ja aconteceu comigo so que em um pet shop,entao ta tennho que tenminar o meu trabalho.

    BJS,
    Millena Barra Garcia

      • Millena on March 31, 2015 at 11:44 pm
      • Reply

      Nao liguem pros erros de portugues

  3. eu adoro essa cronica conhece hj na escola

    • Fabiana on June 8, 2015 at 6:27 pm
    • Reply

    muito chato…

  4. Gostei muinto ajuda me no divertimento do dia a dia

  5. It was hard to find this article in google,
    but i’m glad i found your interesting site. You deserve for much more traffic.
    Your niche is not so difficult to rank in google,
    there is one working method to rank, search in google for: Rotia
    knows how to rank

    • Anonymous on November 12, 2015 at 5:07 pm
    • Reply

    qui tud

    • Rafael on February 19, 2016 at 11:02 am
    • Reply

    Judas traiu Jesus por 30 dinheiros e murmurou pensativo “Eu devia ter pedido cinqüenta, tenho certeza que ele dava “.

    • Lara Sabrina on March 30, 2016 at 9:47 pm
    • Reply

    Alguém sabe a data em que essa crônica foi criada?

  6. vou usar isso para o meu trabalho

    • kemilla on June 8, 2016 at 12:29 am
    • Reply

    Legal vou copiar para apresentar para ninha professora de potugues amanha 08/06/2016

    • Benígna Samselski on July 1, 2016 at 8:16 am
    • Reply

    Muito lega… Eu tinha esperança que a Mãe permitiria..kk

  7. Nossa é mt bom eu nem queria saber se minhe n queria ia ficar c ele e ponto kk 😉

  8. Tinha trabalho da escola para fazer e quero essa cronica com certeza

    • leonardo on March 9, 2017 at 10:47 pm
    • Reply

    Eu chorei por causa do cachorrinho

    • hugo morais on December 14, 2017 at 7:43 pm
    • Reply

    tive que ler o final mais uma vez para entender.. apesar de dizer amar seu cachorro pensou que poderia ter vendido por mais… que amor é eese que vende seu melhor amigo, acredito que essa é a crítica

Leave a Reply

Your email address will not be published.