D. Mônica – Conto de Machado de Assis

I E, reconhecendo as boas qualidades do dito meu sobrinho Gaspar, declaro que o nomeio meu universal herdeiro, com duas condições essenciais; a primeira (deixada ao seu critério), é que há de relar os cabedais que lhe lego como os relei durante a minha vida; a segunda (cujo cumprimento precederá a execução desta parte do… Read More »

Uma amizade sincera – Conto de Clarice Lispector

Não é que fôssemos amigos de longa data. Conhecemo-nos apenas no último ano da escola. Desde esse momento estávamos juntos a qualquer hora. Há tanto tempo precisávamos de uma amigo que nada havia que não confiássemos um ao outro. Chegamos a um ponto de amizade que não podíamos mais guardar um pensamento: um telefonava logo… Read More »

Desobediência civil – Artigo de José Padilha

O explorado do sistema político brasileiro deve se perguntar: se a lei não se aplica a todos, por que diabos se aplicaria a mim? A História recente do Brasil se caracteriza pela substituição de uma ditadura de direita, que controlava o país na ponta da baioneta e explorava a sociedade auferindo “vantagens competitivas” para grupos… Read More »

Para Maria da Graça – Cronica de Paulo Mendes Campos

Agora, que chegaste à idade avançada de 15 anos, Maria da Graça, eu te dou este livro: Alice no País das Maravilhas. Este livro é doido, Maria. Isto é: o sentido dele está em ti. Escuta: se não descobrires um sentido na loucura acabarás louca. Aprende, pois, logo de saída para a grande vida, a… Read More »

Folha rota – Conto de Machado de Assis

Tinham dado ave-marias; a srª D. Ana Custódia saiu para ir levar umas costuras à loja que era na Rua do Hospício. Pegou das costuras, entrouxou-as, pôs um xale às costas, um rosário ao pescoço, deu cinco ou seis ordens à sobrinha e caminhou para a porta. — Venha quem vier, não abras, disse ela… Read More »

A viúva Sobral – Conto de Machado de Assis

I — … Mas estás com pressa? — Alguma. — Em todo caso, não vais salvar o pai da forca. — Pode ser. — Explica-te. — Explico-me. — Mas explica-te refrescando a goela. Queres um sorvete? Vá, dois sorvetes. Traga dois sorvetes… Refresquemo-nos, que realmente o calor está insuportável. Estiveste em Petrópolis. — Não. —… Read More »

Um especialista – Conto de Lima Barreto

O comendador Mota era um português de meia-idade, rico proprietário de uma fábrica de fósforos. Viúvo e sem filhos, o gordo Mota levava uma vida de solteiro. Gostava de bares, festas e prostíbulos, sempre arranjando novos namoricos. Ele vivia no Rio de Janeiro desde os 24 anos, tendo estado antes seis no Recife. O melhor… Read More »