Tag Archives: crônica brasileira

As outras sepulturas – crônica de Luiz Fernando Veríssimo

Sempre é bom começar citando Hegel. Porque dá uma certa classe ao texto e porque, a partir de Hegel, você pode ir para qualquer lado, para a esquerda e ou para direita. Marx afiou suas teses criticando e às vezes assimilando Hegel, e Hegel, ao mesmo tempo em que sacudia o pensamento conservador europeu, era… Read More »

O carro, a jardineira, a calçada – Crônica de Carlos Drummond de Andrade

No momento, a situação nas calçadas de Copacabana está mais ou menos refletida neste diálogo de mil vozes: — Ei, tira essa jardineira daí. — Pra botar cano no lugar dela? — Tira também o carro, ué. — Pra botar aonde? Noutra calçada? — Melhor deixar a jardineira e o carro, cada um na sua… Read More »

Grande Edgar – Crônica de Luis Fernando Verissimo

Já deve ter acontecido com você. — Não está se lembrando de mim? Você não está se lembrando dele. Procura, freneticamente, em todas as fichas armazenadas na memória o rosto dele e o nome correspondente, e não encontra. E não há tempo para procurar no arquivo desativado. Ele esta ali, na sua frente, sorrindo, os… Read More »

O Analista de Bagé – crônica de Luis Fernando Verissimo

Certas cidades não conseguem se livrar da reputação injusta que, por alguma razão, possuem. Algumas das pessoas mais sensíveis e menos grossas que eu conheço vem de Bagé, assim como algumas das menos afetadas são de Pelotas. Mas não adianta. Estas histórias do psicanalista de Bagé são provavelmente apócrifas (como diria o próprio analista de… Read More »

Os Moralistas – crônica de Luis Fernando Verissimo

— Você pensou bem no que vai fazer, Paulo? — Pensei. Já estou decidido. Agora não volto atrás. — Olhe lá, hein, rapaz… Paulo está ao mesmo tempo comovido e surpreso com os três amigos. Assim que souberam do seu divórcio iminente, correram para visitá-lo no hotel. A solidariedade lhe faz bem. Mas não entende… Read More »

Homem que é homem – crônica de Luis Fernando Verissimo

Homem que é Homem não usa camiseta sem manga, a não ser para jogar basquete. Homem que é Homem não gosta de canapés, de cebolinhas em conserva ou de qualquer outra coisa que leve menos de 30 segundos para mastigar e engolir. Homem que é Homem não come suflê. Homem que é Homem — de… Read More »

A aliança – crônica de Luis Fernando Verissimo

Esta é uma história exemplar, só não está muito claro qual é o exemplo. De qualquer jeito, mantenha-a longe das crianças. Também não tem nada a ver com a crise brasileira, o apartheid, a situação na América Central ou no Oriente Médio ou a grande aventura do homem sobre a Terra. Situa-se no terreno mais… Read More »

O Recital – crônica de Luis Fernando Verissimo

Uma boa maneira de começar um conto é imaginar uma situação rigidamente formal — digamos, um recital de quarteto de cordas — e depois começar a desfiá-la, como um pulôver velho. Então vejamos. Um recital de quarteto de cordas. O quarteto entra no palco sob educados aplausos da seleta platéia. São três homens e uma… Read More »

O Apito – crônica de Luis Fernando Verissimo

Tudo o que o Mafra dizia, o Dubin duvidava. Eram inseparáveis, mas viviam brigando. Porque o Mafra contava histórias fantásticas e o Dubin sempre fazia aquela cara de conta outra. — Uma vez… — Lá vem história. — Eu nem comecei e você já está duvidando? — Duvidando, não. Não acredito mesmo. — Mas eu… Read More »