Category Archives: Nelson Rodrigues

A esposa humilhada – Crônica de Nelson Rodrigues

O chefe apareceu na porta: — Seu Fortuna! Onde é que está seu Fortuna? José Penteado Fortuna atirou-se do fundo do escritório, esbaforido. — Pronto, doutor Benevides, pronto! E o outro, feroz: — Entra aqui! O subalterno, lívido, obedece. Então, dr. Benevides põe as duas mãos nos quadris e vocifera: — Seu Fortuna, o senhor… Read More »

A futura sogra – Conto de Nelson Rodrigues

O velho era um alto funcionário do Tesouro. Quando o filho apareceu dizendo que queria casar, seu Daniel ergueu-se. Esfregando as mãos, fez uma série de considerações gerais, inclusive esta: — Faz bem, meu filho. — E acrescenta em tom profundo: — É a lei da natureza, da qual não podemos fugir. E, súbito, faz… Read More »

O marido sanguinário – Crônica de Nelson Rodrigues

No telefone, Glorinha dramatizou: — Eu vou, ouviu? Eu vou, mas uma coisa eu quero que tu saibas: eu nunca traí o meu marido, nunca. É a primeira vez. Te juro pela vida dos meus dois filhos! Do outro lado da linha, Eurilo admitia: — “Eu sei, meu anjo, claro. Nunca duvidei de ti”. Em… Read More »

É chato ser brasileiro – Crônica de Nelson Rodrigues

“O povo já não se julga mais um vira-latas. Sim, amigos: — o brasileiro tem de si mesmo uma nova imagem. Ele já se vê na generosa totalidade de suas imensas virtudes pessoais e humanas.” Dizem que o Brasil tem analfabetos demais. E, no entanto, vejam vocês: — a vitória final, no Campeonato do Mundo,… Read More »

O marido silencioso – Nelson Rodrigues

Vinte e quatro horas antes do casamento, d. Eunice viu a tristeza da filha e estranhou: — Que é isso, minha filha? Maria Lúcia quis disfarçar: — Nada, mamãe, nada. Por quê? E d. Eunice: — Estou achando você meio assim, esquisita. Houve alguma coisa entre vocês, houve? Maria Lúcia ri: — Ora, mamãe! Mas… Read More »

O ex-covarde – Texto de Nelson Rodrigues

Entro na redação e o Marcelo Soares de Moura me chama. Começa: — “Escuta aqui, Nélson. Explica esse mistério.” Como havia um mistério, sentei-me. Ele começa: — “Você, que não escrevia sobre política, por que é que agora só escreve sobre política?” Puxo um cigarro, sem pressa de responder. Insiste: — “Nas suas peças não… Read More »

A mulher das bofetadas – Conto de Nelson Rodrigues

Chegou atrasado no emprego. Tirava o paletó, quando o Carvalhinho veio avisar: — Olha, telefonaram pra ti. — Homem ou mulher? — Mulher. — Deixou recado? — Não. Disse que telefonava depois. Arregaçando as mangas, bufou: — OK! OK! Uns dez minutos depois, estava pondo em ordem uns papéis, quando o telefone bate novamente. O… Read More »