Tag Archives: Conto de Rubem Fonseca

O jogo do morto – Conto de Rubem Fonseca

Eles se reuniam no Bar do Anísio, todas as noites. Marinho, dono da principal farmácia da cidade, Fernando e Gonçalves, sócios num armazém, e Anísio. Nenhum deles era natural da cidade ou mesmo da Baixada. Anísio e Fernando eram mineiros e Marinho cearense. Gonçalves viera de Portugal. Eram pequenos comerciantes, prósperos e ambiciosos. Possuíam modestas… Read More »

Almoço na serra no domingo de carnaval – Rubem Fonseca

Na subida da serra uma mulher pequena, de chapéu de abas largas, fez sinal pedindo carona. Usava minissaia de cetim, bustiê de lantejoulas vermelhas, luvas brancas longas quase até o cotovelo. Parei o carro. Vai subir? Voz de falsete. Dentes ruins. Batom vermelho brilhante. Tinha qualquer coisa numa das vistas, ligeiramente fechada e remelenta. Pestanas… Read More »

Pierrô da caverna – Conto de Rubem Fonseca

Existem pessoas que não se entregam à paixão, sua apatia as leva a escolher uma vida de rotina, onde vegetam como “abacaxis numa estufa”, como dizia meu pai. Quanto a mim, o que me mantém vivo é o risco iminente da paixão e seus coadjuvantes, amor, ódio, gozo, misericórdia. Carrego um gravador a tiracolo. Apenas… Read More »

Fazer as Pessoas Rirem e se Sentirem Felizes – Conto de Rubem Fonseca

Não gosto que saibam o que eu faço. Mesmo trabalhando disfarçado morro de medo de que um dia alguém me veja na rua e grite “é ele, é ele”. Não sei fazer mais nada e isso que eu faço aprendi com o meu pai. Ele morreu. Mas algum tempo antes de morrer ele ficou louco. Mesmo assim continuou trabalhando e ninguém percebia. Ele entrava no meu quarto e perguntava “quem é você?”.

Deus e o Diabo – Conto de Rubem Fonseca

Avenida Atlântica. Senti meu ombro sendo tocado. Era M. “Você sumiu”, disse M. “Deixou de…” “Comprei um sítio na Serra com duas nascentes dentro da propriedade e agora estou criando rãs.” “Criando rãs? Aquela espécie de sapo?” “São muito diferentes. Os sapos preferem viver em terra firme e só procuram locais aquáticos quando vão se… Read More »