Tag Archives: Crônica de Luis Fernando Verissimo

Arrependimento – Crônica de Luis Fernando Veríssimo

Ironia climática: em meio a uma das maiores estiagens da nossa História, estreia no Brasil o filme Noé, sobre o Dilúvio. Noé, filho de Lameque, é uma das figuras mais controvertidas da Bíblia. Na verdade, a Bíblia mal começa e já nos apresenta seus dois personagens mais intrigantes, Caim e Noé. É evidente, pelo que… Read More »

Estranhas Conexões – Crônica de Luis Fernando Veríssimo

Aquela teoria de que no máximo seis graus separam qualquer pessoa de qualquer outra pessoa no mundo, viva ou morta, pode levar a conexões surpreendentes. Quem se lembra de uma musica cantada pelo Sacha Distel num filme da Brigitte Bardot, se não me falham os neurônios, chamada Scoubidou (“Les pommes, les poires et les scoubidoubidou-ah”),… Read More »

Hollande, nosso herói – Crônica de Luis Fernando Veríssimo

Acho que falo por todos os gordinhos sem graça do mundo, por todos os homens por quem ninguém dá nada, todos os com cara daqueles tios que nas festas de família ficam num canto e nem os cachorros lhes dão atenção, ou fazem xixi no seu sapato, todos os que se apaixonam mas não têm… Read More »

Olhos cor de âmbar – Crônica de Luis Fernando Veríssimo

A decoração estava diferente. As toalhas eram de outra cor. Os quadros tinham desaparecido das paredes. E ele não reconhecia nenhum dos garçons. – O que houve? – perguntou a um dos desconhecidos. – Pardon, monsieur? – O que houve com este lugar? Está tudo mudado. – Não, não. Desde que eu trabalho aqui, nada… Read More »

Desforra – Crônica de Luis Fernando Veríssimo

Deve ter gente estudando a tabela – e os astros, e os búzios e as entranhas de pássaros – para saber se há possibilidade de a final da Copa deste ano ser entre Brasil e Uruguai, como em 1950. As duas seleções se enfrentaram muitas vezes depois daquela derrota do Brasil que ficou atravessada na… Read More »

Vô sério – Crônica de Luis Fernando Veríssimo

O vovô era um homem sério. Não carrancudo, mas sério. Tanto que os netos fizeram uma aposta: ganharia quem fizesse o vovô rir. O local da competição seria a mesa do almoço, aos domingos, quando toda a família se reunia, com a vovó numa cabeceira e o vovô na outra. Foram estabelecidas certas regras. Para… Read More »

Os escrúpulos – Crônica de Luis Fernando Veríssimo

Há dias, na sua coluna, num texto exemplar como sempre, o Zuenir Ventura lembrava que há 45 anos era assinado o Ato Institucional n.° 5, que instaurava a ditadura sem disfarces no Brasil. Congresso fechado, fim dos direitos constitucionais, censura e repressão a valer, poderes absolutos para o governo militar, e que se danassem os… Read More »