Tag Archives: Fábula de Monteiro Lobato

Anta que berra – Conto de Monteiro Lobato

História propriamente não é o que vou contar, mas simples episódio — coisa de um aparte inocente que atrapalhou a façanha narrada pelo meu saudoso amigo major Pedro Falaverdade, de Itaquaquecetuba. Apesar de grande caçador o meu amigo não mentia: atrapalhava-se às vezes, confundia uma caçada com outra: mas mentir deliberadamente, como a maioria dos… Read More »

A rã sábia – Fábula de Monteiro Lobato

Como a onça estivesse para casar-se, os animais todos andavam aos pulos, radiantes, com olho na festa prometida. Só uma velha rã sabidona torcia o nariz àquilo. O marreco observou-lhe o trejeito e disse: — Grande enjoada! Que cara feia é essa, quando todos nós pinoteamos alegres no antegozo do festão? — Por um motivo… Read More »

O sabiá na gaiola – Fábula de Monteiro Lobato

Que triste destino o meu, nesta prisão toda a vida. E que saudades dos bons tempos de outrora, quando minha vida era um contínuo pular de galho em galho em procura das laranjas mais belas. Madrugador, quem primeiro saudava a luz da manhã era eu, como era eu o último a despedir-me do sol à tardinha, cantava e era feliz.

Burrice – Fábula de Monteiro Lobato

Caminhavam dois burros, um com carga de açúcar, outro com carga de esponjas. Dizia o primeiro: — Caminhemos com cuidado, porque a estrada é perigosa. O outro redargüiu: — Onde está o perigo? Basta andarmos pelo rastro dos que hoje passaram por aqui. — Nem sempre é assim. Onde passa um, pode não passar outro.… Read More »