Tag Archives: Poema de Antero de Quental

Primeiros conselhos do outono – Poema do português Antero de Quental

Ouve tu, meu cansado coração, O que te diz a voz da Natureza: – “Mais te valera, nu e sem defesa, Ter nascido em aspérrima solidão, Ter gemido, ainda infante, sobre o chão Frio e cruel da mais cruel devesa, Do que embalar-te a Fada da Beleza, Como embalou, no berço da ilusão! Mais valera… Read More »