Tag Archives: Poema de Mario Quintana

Poema da Gare do Astapovo – Mario Quintana

O velho Leon Tolstoi fugiu de casa aos oitenta anosE foi morrer na gare de Astapovo!Com certeza sentou-se a um velho banco,Um desses velhos bancos lustrosos pelo usoQue existem em todas as estaçõezinhas pobres do mundo,Contra uma parede nua…Sentou-se… e sorriu amargamentePensando queEm toda a sua vidaApenas restava de seu a Glória,Esse irrisório chocalho cheio… Read More »