Category Archives: Poesia

Descrição da Cidade de Sergipe D’el-Rei – Poema de Gregório de Matos

Três dúzias de casebres remendados, Seis becos, de mentrastos entupidos, Quinze soldados, rotos e despidos, Doze porcos na praça bem criados. Dois conventos, seis frades, três letrados, Um juiz, com bigodes, sem ouvidos, Três presos de piolhos carcomidos, Por comer dois meirinhos esfaimados. As damas com sapatos de baeta, Palmilha de tamanca como frade, Saia… Read More »

Nesta ausência – Poema de Gilka Machado

Nesta ausência que me excita,tenho-te, à minha vontade,numa vontade infinita…Distância, sejas bendita!Bendita sejas, saudade! Teu nome lindo…Ao dizê-loqueimo os lábios, meu amor! O teu nome é um setestrelona noite da minha dor. Nunca digas com firmezaque a mágoa apenas crucia:a saudade é uma tristeza,que nos dá tanta alegria! Passo horas calada e queda,a rever, a… Read More »

Esboço – Poema de Gilka Machado

Teus lábios inquietospelo meu corpoacendiam astros…e no corpo da mataos pirilamposde quando em quando,insinuavamfosforecentes carícias…e o corpo do silêncio estremecia,chocalhava,com os guizosdo cri-cri osculantedos grilos que imitavama música de tua boca…e no corpo da noiteas estrelas cantavamcom a voz trêmula e rútilade teus beijos 137 Visualizações

Triste regresso – Poema de Augusto dos Anjos

Uma vez um poeta, um tresloucado, Apaixonou-se d’uma virgem bela; Vivia alegre o vate apaixonado, Louco vivia, enamorado dela. Mas a Pátria chamou-o. Era o soldado, E tinha que deixar p’ra sempre aquela Meiga visão, olímpica e singela! E partiu, coração amargurado. Dos canhões ao ribombo e das metralhas, Altivo lutador, venceu batalhas, Juncou-lhe a… Read More »